scroll down

Jorge Molder, Jeu de 54 cartes, 2017

EXPOSIÇÃO

Jeu de 54 Cartes de Jorge Molder

Inauguração: 25.01.2019 Exposição: 26.01. - 02.04.2019
Jorge Molder
Jeu de 54 cartes


As Carpintarias de São Lázaro inauguram em Janeiro de 2019 a exposição Jeu de 54 cartes de Jorge Molder, uma das mais recentes séries de trabalho do artista português.

Esta exposição a ser apresentada agora nas Carpintarias de São Lázaro já esteve presente no MIEC – Museu Internacional de Escultura Contemporânea em Santo Tirso, de Outubro 2017 a Janeiro 2018.


Tendo por base a estrutura típica do popular baralho de cartas francês, constituído por quatro naipes de treze cartas cada, o artista realizou uma série de fotografias com seis partes: cinquenta e duas imagens repartidas por quatro naipes (Caras, Mãos, Bocados, Espectros), mais dois Jokers e a fotografia de um assim pelo artista chamado ‘Gabarito’.

Afinal encontramos nesta exposição não 54 cartas, mas 55...


    
Vista exposição © Eduardo Sousa Ribeiro, 2019

Vista exposição © Eduardo Sousa Ribeiro, 2019




Jorge Molder, Jeu de 54 cartes, 2017
impressão a jato de tinta sobre papel de algodão Arches 650 g,  152 x 102 cm, Ed. 1/3

Vista exposição © Eduardo Sousa Ribeiro, 2019





Jorge Molder, Jeu de 54 cartes, 2017
impressão a jato de tinta sobre papel de algodão Arches 650 g,  152 x 102 cm, Ed. 1/3


A noção de jogo é um elemento essencial no processo criativo de Jorge Molder. O jogo surge como uma actividade que nos incita a uma experiência heurística das coisas, que configura a possibilidade de abertura para tudo o que se desvia de convenções, categorias e estruturas de entendimento pré-estabelecidas.
Aplicada ao campo da arte é uma noção que certifica a arte como uma prática que formula as suas próprias “regras”, a possibilidade de preterir a intenção deliberada, a sistematização, o discurso prévio, a favor da experiência do possível, da espontaneidade e da disponibilidade interpretativa.



Vista exposição © Eduardo Sousa Ribeiro, 2019


Vista exposição © Eduardo Sousa Ribeiro, 2019
“O jogo e, correlativamente, o acaso e a intuição, apontam para questões decisivas nesta pesquisa em que Jorge Molder correlaciona o trabalho de desmultiplicação das (suas) figuras com os dilemas essenciais da nossa relação com as imagens. Ora, se as imagens parecem indeferir a expectativa de um Eu único e original, primeiro e autêntico, porque cada indivíduo é também constituído pelas suas declinações e substitutos, ao mesmo tempo, alertam-nos para a natureza paradoxal da relação entre a imagem e cada figura que apresenta. O que há de verdade e o que há de factício, naquele corpo, naquele gesto, naquela expressão? Como distinguir o que separa e o que se justapõe entre imagem e representação, entre realidade e a fantasia, entre o Eu e o(s) outro(s)?”
(Sérgio Mah, curador da exposição realizada no MIEC - Museu Internacional de Escultura Contemporânea, Santo Tirso). 



Vista exposição © Eduardo Sousa Ribeiro, 2019

                   

Jorge Molder, Jeu de 54 cartes, 2017
impressão a jato de tinta sobre papel de algodão Arches 650 g,  152 x 102 cm, Ed. 1/3

O artista Jorge Molder (Lisboa, 1947) vive e trabalha em Lisboa. Licenciou-se em Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1972).
Jorge Molder é um artista excepcional, provavelmente um dos artistas portugueses mais conhecidos e considerado um dos mais importantes fotógrafos portugueses de arte contemporânea.


O seu trabalho é cheio de mistério, usando na maioria das vezes a sua própria cara, mãos e corpo para refletir sobre o que é insolúvel, o mundo dos pensamentos e dos sonhos. Fortemente influenciado pela literatura e filosofia, Molder desenvolveu um gosto pelos “lugares escuros da alma”, uma certa “estranheza perturbadora”, o mapa dos nossos desejos e ambiguidades. 

Em 1977 realizou a sua primeira exposição individual, e desde então tem vindo a realizar inúmeras exposições em alguns dos museus e galerias internacionais mais conhecidos. Em 2006 recebeu o Prémio AICA / Portugal e em 2010 o Grande Prémio Fundação EDP/Arte. Foi artista convidado na 24ª Bienal de São Paulo (1994), e representou Portugal na 48ª Bienal de Veneza (1999).
Está representado em coleções como a do Art Institute of Chicago, Museu Gulbenkian/Coleção Moderna da Fundação Gulbenkian, o Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, a Maison Européene de la Photographie e o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.



︎programação

Carpintarias de São Lázaro
Rua de São Lázaro - 72
Lisboa, Portugal

︎ 213815891
︎ carpintarias(at)csl-lisboa.pt

Contacto para imprensa 
︎ imprensa(at)csl-lisboa.pt


Horário com exposições: Quinta-feira a Domingo, das 12h-18h00 Opening Hours: Thursday-Sunday, 12-6pm




         

   ︎ ︎ 

    ARQUIVO


   Inscreva-se na Newsletter:
   carpintarias(at)csl-lisboa.pt